Número total de visualizações de página

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Universidade de Coimbra promove roteiro turístico para a comunidade judaica








Agência Lusa
17 de Dezembro de 2013 -  11h25


A Universidade de Coimbra quer apresentar "produtos diferenciados" na área do turismo, como um roteiro para a comunidade judaica, no qual se incluirá consultas a uma bíblia judaica do século XV ou a documentos de Aristides de Sousa Mendes.

A instituição pretende potenciar a classificação de Coimbra como Património Mundial pela UNESCO, apresentando "novos produtos", onde se inclui o roteiro virado para a comunidade judaica, que já valeu a apreciação de um rabino de Nova Iorque que visitou a universidade, afirmou à agência Lusa Luís Menezes, vice-reitor da Universidade de Coimbra (UC).

Esse roteiro irá incluir, para além da bíblia, "que é um objecto único", o acesso ao Arquivo e Biblioteca Geral da universidade, onde estão "documentos que interessam à comunidade judaica", como os manuscritos, enquanto estudante da instituição, do diplomata Aristides de Sousa Mendes, que concedeu cerca de 10 mil vistos de entrada em Portugal a judeus, quando era cônsul em Bordéus, durante a Segunda Guerra Mundial.





A Torah de Isaac Abravanel, século XV.

Este livro sagrado foi manuscrito em 1450,  por encomenda de Isaac Abravanel, judeu nascido na cidade de Lisboa em 1437, homem que exerceu diversos cargos ao serviço da coroa portuguesa e que tinha  ligações familiares a Sevilha.






Para além do foco na comunidade judaica, Luís Menezes explicou que a UC quer "atrair grupos de turistas diferentes, porque a universidade tem diferentes histórias para contar".

Segundo o vice-reitor, está a ser recuperada a estufa do Jardim Botânico, para a ligar à visita ao Paço das Escolas - o percurso turístico geral -, assim como há a pretensão de "revitalizar o Museu Académico".

"Tudo isto tem de ser feito em parceria com a Câmara de Coimbra", sublinhou Luís Menezes, estando em perspectiva a criação de "um bilhete único", que envolva, não só os espaços da universidade, mas também "o Museu Machado de Castro e o Portugal dos Pequenitos", entre outros.


O turismo da cidade "tem de caminhar no sentido de uma estrutura global", ao mesmo tempo em que se pretende "apresentar cada vez mais produtos específicos", de modo a "cativar os turistas e a fixá-los mais dias na cidade e não apenas uma tarde", frisou.




Via: http://www.rtp.pt/noticias