Número total de visualizações de página

domingo, 25 de maio de 2014

Ataque ao Museu Judaico de Bruxelas




Três pessoas morreram ontem e uma outra ficou ferida com  bastante gravidade, na sequência de um tiroteio no Museu Judaico, no centro de Bruxelas, Bélgica.






Este cobarde atentado surge num momento, em que o ódio contra a comunidade judaica naquele país é cada vez mais evidente.
Mas não só a Bélgica é palco destes crimes racistas, a França, Inglaterra, Ucrânia e Hungria, são exemplos de países onde diariamente acontecem actos contra sectores da população judaica, em ataques a sinagogas, destruição de cemitérios e mesmo espancamentos.


A Europa parece não querer ver e muito menos agir, padece de uma grave doença crónica de séculos, que de vez enquanto irrompe como erva daninha nas sociedades democráticas.
Se nada for feito já e em concreto contra os extremismos políticos ou religiosos que começam agitar o panorama europeu, voltamos a ter um Continente de contornos perigosos e com o qual não me revejo de todo, nem como cidadão, nem como judeu.






As colecções do Museu Judaico da Bélgica reflectem a vida e a história das populações judaicas da Holanda e da Bélgica desde o século XVIII.




Fotos retiradas do euronews.com