Número total de visualizações de página

sexta-feira, 7 de março de 2014

José Gurvich








Falecido com a idade de 47 anos, Gurvich possui uma produção artística bastante importante e com uma simbologia judaica assinalável. 
Este artista uruguaio, caracterizou-se por uma obra repleta de telas coloridas, com temas desde o repertório bíblico à experiência sionista.





"Shabat", 1974.
Colecção pertencente à família do artista.





"Caim e Abel", 1973 (detalhe).
Colecção Museu de Gurvich.




A obra artística de José Gurvich (Lituânia,1927 - Estados Unidos,1974), obtida através de conteúdos profundos e de uma enorme criatividade, é uma arte imaginativa  e surpreendente que, ao longo de toda a sua vida, esteve em constante desenvolvimento. Gurvich é um nome grande da arte construtivista latino-americana, valorizado cada vez mais com o decorrer do tempo.
A vida de Zusmanas Gurvicius, seu nome verdadeiro, recebeu como 
fonte de inspiração nomes consagrados como Joaquim Torres Garcia, Paul Klee, Peter Brueghel, Hieronimus Bosch, Lasar Segall, Marc Chagall e Naftali Bezem. 
Na  arte de José Gurvich, é inquestionável a influência exercida por esses ícones da cultura mundial na consolidação da arte do pintor judeu-uruguaio.





"Casal", de 1968.
Colecção Museu Gurvich.





"A vida no Kibutz", de  1966.




Utilizou com frequência a iconografia judaica. Seu universo alterna cenas da aldeia na Lituânia, relatos bíblicos, o pioneirismo e a realidade da vivência no kibutz, mitos, sonhos e anjos. 

Gurvich produziu uma arte eloquente através da abordagem do quotidiano, por meio de incursões em universos complexos, penetrando com força no que podemos denominar de “tempo judaico”, um tempo cujas narrativas recriam momentos cruciais da epopeia histórica do povo de Israel.





Fontes: www.museogurvich.org
historico.elpais.com.uy
www.artemercosur.org.uy
Revista Morashá e wikipedia