Número total de visualizações de página

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Judiaria de Lamego








Desde o século XIV que os judeus de Lamego ocupavam a área entre o castelo e a igreja de Stª. Maria de Almacave. 

Já no século XV, os bairros judeus eram já dois; o mais antigo (judiaria velha), localizava-se muito próximo da Porta do Sol, o que correspondia à judiaria nova ou do fundo, junto ao adro da igreja citada.





Porta do Sol.

Fotografia de João Nuno Carvalho 
Retirado de: http://jnssc.blogspot.pt


Neste bairro localizava-se a sinagoga na antiga Rua da Esnoga. Em 1436, estimava-se em mais de 400 os habitantes judeus das duas zonas. 





Rei D. Duarte.





A partir do reinado do rei D. Duarte, os dois bairros eram encerrados à noite através de portas colocadas para esse efeito. Estas localizavam-se respectivamente na rua que abria para a Praça (do Comércio) e na que abria para o adro da igreja de Almacave.



Rua do Almacave.

Fotografia de Lala
www.minube.pt/fotos/lamego


A actual Rua Nova correspondia ao primeiro caso (mais a Rua Travessa da Fonte Velha, Rua da Seara e Rua da Cruz) e inclusivamente chegavam a ocupar a Rua do Almacave. Na Rua Nova (antiga judiaria nova) pode ver-se um característico portal ogival, granítico (agora com inscrição cristã). Poderá ter sido aqui a antiga Sinagoga.

José de Lamego, sapateiro judeu, foi quem recebeu de Pêro da Covilhã na cidade do Cairo, as informações que de seguida permitiram a D. João II conhecer todos os dados referentes às costas leste africana, Península Arábica e Índia, criando os alicerces para a viagem de Vasco da Gama a 8 de Julho de 1497, (ano limite para a expulsão dos judeus em Portugal).





Pêro da Covilhã.
Fotografia de Rafael Baptista (2012).



Fontes: www.redejudiariasportugal.com
    Wikipedia
www.lamegoimage.blogspot.com