Número total de visualizações de página

terça-feira, 29 de novembro de 2011



Uma instituição de caridade nunca tinha recebido doação do advogado mais rico da cidade, um judeu. O director da instituição decidiu ele mesmo ir falar com o advogado.

- Fizemos uma pesquisa e descobrimos que o senhor ganha mais de 350.000 euros por ano e mesmo assim nunca fez uma pequena doação para a nossa caridade. O senhor gostaria de contribuir agora?

O advogado respondeu:

- A sua pesquisa apurou que a minha mãe está muito doente e que as contas médicas são muito superiores à renda anual da reforma dela?

- Ah, não, murmurou o director.

- Ou que o meu irmão mais novo é cego e desempregado? Continuou o advogado.

O director nem se atreveu a abrir a boca.

- Ou que o marido da minha irmã morreu num acidente e a deixou sem um tostão e com cinco filhos menores para criar, sendo que um deles tem Síndrome de Down? Disse o advogado, já com ar de indignação.

O director já se sentindo humilhado explicou:

- Eu não tinha a menor ideia disso tudo...

- E a sua pesquisa apurou que o meu pai é diabético, tendo perdido três dedos há meses, cardíaco e que está na cadeira de rodas há mais de dez anos?

- Não senhor...

- E foi, por acaso, verificado que eu tenho dois sobrinhos surdos-mudos?

Silêncio do director.

- Além de tudo isto, vocês já sabem que o meu irmão mais velho pediu falência e perdeu todos os seus bens?

- Não, absolutamente não, senhor! Respondeu o director totalmente envergonhado com o papelão que fazia.

- Pois então, - disse o advogado,- SE EU NÃO DOU UM TOSTÃO A ELES, POR QUE IRIA DAR A VOCÊS?