Número total de visualizações de página

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Ditos (Parte I)







Na Beira Interior e a norte do Douro, em Torre de Moncorvo e concelhos limítrofes, era vulgar até à década de 60 e 70 do século passado, ouvir ditos com teor pejorativo em certas circunstâncias.


Quando alguém pisava outro, o pisado exclamava: “O debaixo é meu, o de cima é de um judeu”.



“Deus nos livre de mouro e judeu, e da gente de Viseu”.


Quando o vento era forte, levantando folhas e poeiras, costumava-se dizer: "Hoje morreu um judeu".





Fonte: "Gente de Nação, além e aquém do 
Côa (Judeus sefarditas)
de autoria Adriano Vasco Rodrigues e Maria da Assunção Carqueja