Número total de visualizações de página

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Sugestão - Antiga Judiaria e Museu Municipal de Almada




Rua e Travessa da Judiaria de Almada


















Núcleo Museológico Medieval - Moderno de 
Almada Velha


Fotografias de R@fael Baptista e de Manuela Videira

(Janeiro de 2015)






Silos medievais da época muçulmana, situados na
 antiga Judiaria de Almada













Neste local foram encontrados pelo menos 26 silos da época islâmica, bem como estruturas habitacionais quatrocentistas e uma enorme variedade de artefactos datados entre os séculos XII e XIX.



Estes silos foram numa primeira fase utilizados para a conservação de alimentos (cereais, carne e peixe seco ou salgados, frutos secos e até azeite), possuem diferentes formas e capacidades, que se crêem intimamente relacionadas com o que seria o seu conteúdo.







As estruturas habitacionais já surgem numa altura em que os silos se encontravam entulhados. A maioria destas encontra-se ao nível das fundações, ou pouco mais. Destas, destaca-se uma casa de habitação com varandim de madeira, do qual sobreviveram dois buracos estruturados e argamassados, destinados a suportar os barrotes de apoio.
Foi encontrado também, adossado à parede de uma das casas, um esgoto e uma caixa de recepção de águas.



Com o passar do tempo, houve a alteração do respectivo uso e função do Sítio.
Os silos deixaram de servir de armazém a um comerciante muçulmano para, com a reconquista cristã de finais do século XII, se transformarem em vazadouros de lixo. Sobre eles contruiram-se as habitações que, sem razão aparente, foram abandonadas no inicio do século XVI.
Com a mudança de proprietarios e divisão de terras, a área modificou-se, passando a ser um quintal, função que manteve até ao inicio das escavações arqueológicas.
























O período medieval/moderno surge representado por peças da vida diária (louças de cozinha e de mesa em cerâmica e faiança), mas também de vestígios de uma riqueza que contrasta com a ideia de periferia de Almada face a Lisboa.
Este luxo reflecte nos achados encontrados no local bem como na diversidade da proveniência: pedras preciosas, porcelanas chinesas, faianças espanholas, italianas e holandesas, vidro italiano, marfim africano e moedas de vários países europeus.
Tudo isto não será alheio à presença de uma burguesia rica e da nobreza, assim como da própria Casa Real, que se deslocava a Almada em tempos de peste ou simplesmente para usufruir dos seus terrenos, ricos em caça.


No Núcleo Museológico pode-se observar utensílios datados do século XIII, XIV e XV, em plena época em que a judiaria era habitada ainda por judeus. 










Encerrado aos Domingos, Segundas- feiras e Feriados
Rua Henriques Nogueira, 36 - Almada

nmedmoderno@cma.m-almada-pt