Número total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Adaptação da oração do Pai-Nosso, rezada pelos conversos/cristãos-novos de Carção, (Trás-os-Montes) no século XX:









Senhor, que estais nas alturas,
Por Vossos altos favores,
Vos chamam os pecadores:
Padre-Nosso.

A Vós, Senhor, como posso
O Vosso nome invocarei,
Pois decerto, eu bem sei
Que estais nos céus;
Amparai, Senhor, um réu,
Que muito ver-vos deseja,
Que Vosso nome seja,
Santificado,
Eternamente sejais louvado,
Por tais modos:
A uma voz digamos todos:
Seja,
Do dizer ninguém se peja,
Nem o mais de Vos louvar;
Só deve triunfar,
O Vosso nome,
Matai-nos a nossa fome,
Com o bem da Vossa mão,
E do céu, meu Deus o pão
Venha a nós.

Amparai-nos sempre Vós,
Dando-nos pão e mais pão,
E por fim, em conclusão,
O reino Vosso.

Fazei que seja nosso
Esse reino da verdade;
Sempre a Vossa vontade
Seja feita.

Quando dermos conta estreita,
Convosco, meu Deus, me veja,
Para perdoar-me seja
A Vossa vontade.

Dai-nos lá, na eternidade,
À Vossa vista um lugar;
Já que andamos a peregrinar
Assim na terra,
É assim que se desterra
Uma dor como tal prazer,
Pois melhor lugar não pode haver
Como no céu.

Em tempo algum seja réu,
Por culpas que não cometi;
A todos daí, como a mim,
O pão nosso.

Eu prometo ser tão Vosso
Que por Vós morrerei;
Sempre Vos louvarei
Cada dia.

Dai-nos prazer e alegria,
Com poderes da Vossa mão,
E a todos o perdão
Nos dai hoje,
Que de Vós ninguém foge,
Antes se chegam a ti contritos;
Porque sois Deus dos aflitos,
Perdoai-nos
E por amor amparai-nos!
Felizes os que de Vós amparo têm;
Absolvei-nos, também,
As nossas dívidas,
Que por serem contraídas
Temos todos grande dor;
Perdoai-nos, Senhor,
Assim como nós
Havemos mister, e Vós,
Se acaso o perdão nos dais,
A perdoar nos ensinais,
Perdoamos.

Que é glória Vossa, e damos
O perdão por mui bem feito,
Pois perdoar é preceito,
Aos nossos,
Pois, por sermos todos Vossos,
É mui justo o perdão,
Para que não haja, não,
Devedores,
Assim como os Vossos favores,
Que qualquer é superior,
Agora, por Vosso amor,
Não nos deixeis.

Senhor, não desampareis
Barro que não é valente,
Pois se deixa facilmente
Cair;
Cuidai muito em nos acudir
Com auxílios eficazes,
Que de cair somos capazes
Em tentação;
Esteidei-nos a Vossa mão,
Senhor, com todo o cuidado,
De contrair o pecado
Livrai-nos
Meu Deus e Senhor, dai-nos
Zelo e serviço fecundo,
E livrai-nos neste mundo
De todo o mal,
Agora, diga já cada qual,
Com bem puro e firme amor:
Louvado seja o Senhor.
Amen.




Retirado do blogue: