Número total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Aristides Sousa Mendes homenageado em igrejas e sinagogas de todo o mundo




LUSA 01/06/2014


O diplomata português Aristides de Sousa Mendes será homenageado em igrejas e sinagogas de todo o mundo a 17 de Junho, lembrando os seus esforços de salvar milhares de judeus do regime nazi.






A iniciativa para o dia em que se celebram 60 anos após a morte do diplomata e 70 anos do holocausto judeu é de João Crisóstomo, um português residente em Nova Iorque que organizou uma iniciativa semelhante em 2004.

Nesse ano, foram celebradas 34 missas e celebrações em sinagogas em 22 países, da África do Sul ao Canadá e à Venezuela.

"Sousa Mendes é um dos grandes humanistas do século passado. Foi um pioneiro, outros seguiram o seu exemplo. Mas nos Estados Unidos, e à volta do mundo, ainda há muitas pessoas que o desconhecem", explicou Crisóstomo.

As homenagens acontecem nos dias 17, 20 e 22 de Junho e vão celebrar também Luís Martins de Sousa Dantas, um diplomata brasileiro que salvou cerca de 800 pessoas.

"Decidi celebrar o 17 de Junho, a que chamo o Dia da Consciência, porque acho que as pessoas devem ser celebradas por aquilo que de bom fizeram em vida e não pelo dia em que nasceram ou morreram", disse João Crisóstomo.

Os prelados do Rio de Janeiro, Vaticano, Bordéus e Luxemburgo já confirmaram a sua participação. João Crisóstomo diz já ter contactado vários outros países, como África do Sul e Bélgica.

Nos EUA, estão agendadas missas em Newark, Long Island e Yonkers, perto de centros de comunidades imigrantes portuguesas.

Em Portugal, o Patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, já confirmou a sua participação, bem como as Dioceses de Braga, Viseu, Bragança, Setúbal e Beja.

"O bispo das Forcas Armadas, a Ordem Franciscana, a Comunidade de S. Egídio e as comunidades israelitas de Lisboa e Porto também já responderam afirmativamente", disse João Crisóstomo.

O português está a tentar agora o apoio do próprio Papa Francisco.

"Escrevi-lhe uma carta, na esperança de uma reacção que valorizasse o acto de consciência do cônsul. Já falei com D. Renato Martino (prefeito emérito do Pontifício Conselho Justiça e Paz) e também com o Cardeal Saraiva Martins (prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos). Continuo a acreditar que sua santidade possa liderar a iniciativa", disse João Crisóstomo.

Quanto à participação das sinagogas na homenagem, o trabalho está a ser coordenado pela Fundação Raul Vallenberg, de que João Crisóstomo é vice-presidente.

Em 1940, o cônsul português de Bordéus terá salvado milhares de judeus e outros refugiados de guerra, visando vistos sem autorização do Ministério dos Negócios Estrangeiros português, facto que levou à sua punição disciplinar.




http://www.publico.pt


(Enviado por Margarida Castro, a quem agradeço desde já a partilha)