Número total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Livro
 


http://2.bp.blogspot.com/-0nE7CYyzSlM/TVVAB0a85gI/AAAAAAAABg4/raqXGK4nLxg/s1600/JESUS%252C+O+JUDEU.jpg




Um livro que nos dá a conhecer a vida de Jesus, um judeu da Galileia.

Vidal apresenta nesta sua obra um retrato histórico sobre alguém, que nunca deixou de cumprir as leis de Moisés.

 

(Do historiador espanhol César Vidal, da Esfera dos Livros - 22 euros).

 
A frase da semana



"A austeridade dos cínicos é ambição de autoridade."




Marquês de Maricá

(Político brasileiro, 1773 - 1848)



http://2.bp.blogspot.com/_6XvZ4HOj2j8/TI98d_PtdaI/AAAAAAAAI5M/0pfPh-wlljc/s1600/AA.png


domingo, 27 de fevereiro de 2011

Concerto

 

 

Bach, Actus Tragicus

Kenneth Weiss e o Divino Sospiro, num concerto 
de música barroca.
Dia 5 de Março, 21h00, Grande Auditório do CCB.


Filme



Cinema.jpg
 

"O Cônsul de Bordéus", filme de Francisco Manso e João Correia, sobre Aristides de Sousa Mendes,
passou dia 23 de Fevereiro na sinagoga hispano-portuguesa de Nova Iorque.
A fita é protagonizada pelo actor Vítor Norte, e ainda não tem estreia oficial em Portugal.

 
 

(Notícia recolhida no Correio da Manhã do dia 24/2/11, pelo amigo e colega Mohomed Abdul).
 

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Oração de cripto-judeus







"Quem no Senhor se encomendou
Nunca o Senhor lhe faltou.
Não me falte, não me falte,
Não me falte o seu favor,
Porque ele é nosso pai,
E nós somos seus filhos.

Oh quantos mil bens e abundâncias
O Senhor nos tem assistido!
O grande Deus de Israel
Tem muito que nos dar,
Bendito e glorificado seja o
Nome do Senhor."


Trás-os-Montes (1952)


Manuel da Costa Fontes
(Revista da Universidade de Coimbra - 1992)


"O menino da sua mãe"



File:Bundesarchiv Bild 101I-291-1209-26, Dieppe, Landungsversuch, toter alliierter Soldat.jpg


Praia de Dieppe (França), soldado aliado, Agosto de 1942. 
 Bundesarchiv Bild.




No plaino abandonado
Que a morna brisa aquece,
De balas trespassado
Duas, de lado a lado,
Jaz morto, e arrefece.
Raia-lhe a farda o sangue.
De braços estendidos,
Alvo, louro, exangue,
Fita com olhar langue
E cego os céus perdidos.
Tão jovem! Que jovem era!
(agora que idade tem?)
Filho unico, a mãe lhe dera
Um nome e o mantivera:
«O menino de sua mãe.»
Caiu-lhe da algibeira
A cigarreira breve.
Dera-lhe a mãe. Está inteira
E boa a cigarreira.
Ele é que já não serve.
De outra algibeira, alada
Ponta a roçar o solo,
A brancura embainhada
De um lenço… deu-lho a criada
Velha que o trouxe ao colo.
Lá longe, em casa, há a prece:
“Que volte cedo, e bem!”
(Malhas que o Império tece!)
Jaz morto e apodrece
O menino da sua mãe.





Fernando Pessoa



Restaurante "Sefardí 515", Corunha - Galiza


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sugestões


Museu Nacional de Arte Antiga - Lisboa
Rua das Janelas Verdes, 17




"As Tentações de Santo Antão", de Hieronymus Bosch.




Jazz no CCB



"O Massacre", mais um excelente cartoon de Henrique Monteiro






Escavações na judiaria de Coimbra






Rua Corpo Deus. Foi devido à abertura destas valas que se detectou as estruturas arqueológicas. 







As duas unidades habitacionais escavadas.

Entre Maio e Novembro de 2010, em plena judiaria da cidade de Coimbra, procedeu-se a escavações arqueológicas numa área de intervenção sobre duas casas habitacionais, (séc. XIV e XV).





Lareira detectada na unidade habitacional.
(Judiaria - Rua Corpo Deus)

Estamos em Fevereiro de 2011, e aguardo com interesse a divulgação do espólio encontrado no local.Desde já, espero muito sinceramente, que num futuro próximo este "achado histórico" seja preservado e incluído em visitas guiadas à judiaria.



segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

"Hordas de fanáticos endurecidos..."


 
"Com a Inquisição, um terror invisível paira sobre a sociedade: a hipocrisia torna-se um vício nacional e necessário: a delação é uma virtude religiosa; a expulsão dos judeus e dos mouros empobrece as duas nações (Espanha e Portugal), paralisa o comércio e a indústria e dá um golpe mortal na agricultura em todo o Sul da Espanha; a perseguição aos "cristãos novos" faz desaparecer os capitais; a Inquisição atravessa os mares e, tornando-nos hostis aos índios, impedindo a fusão dos conquistadores e dos conquistados, torna impossível o estabelecimento duma colonização sólida e duradoura; na América, despovoa as Antilhas, apavora as populações indígenas e faz do nome cristão um símbolo da morte; o terror religioso, finalmente, corrompe o carácter nacional e faz de duas nações generosas, hordas de fanáticos endurecidos, o horror da civilização."



Antero de Quental 




L'Ham de Foc - Scalerica de oro 



 



sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Assim escreveu Isaac de Castro...





Estamos em 1662, Amesterdão, aqui se refugiou  Baltasar Oróbio de Castro, nascido em Bragança, mas que aqui, livre de suspeitas e de acusações de cripto-judaísmo, mudará o seu nome para Isaac de Castro.
Sobre o messianismo, temática tão predilecta aos cristãos-novos, Isaac escreverá no seu livro "A Observância da Divina Lei de Moisés", o seguinte:

"...Todos os profetas estão de acordo que quando vier o Messias, Israel Santo cheio de graça, de temor de Deus, viverá na Terra Santa, governada pelo rei filho de David; ele será o seu pastor e o Senhor será seu Deus, e porá o seu santuário em Israel, com admiração das gentes, tal como disse Isaías na sua profecia..."
"...Entre os demais benefícios que fará a seu povo, será um, dar-lhe rei da raça de David, tão santo, tão justo, tão servo de Deus, tão bem amado seu que Israel e as gentes lhe obedecerão, como a ministro de Deus, sem atrever-se nem os israelitas, nem nenhuma nação a prevaricar contra o divino culto, porque ajudado pelo Senhor como instrumento seu, fará destruir os inimigos de Deus..."
O Messias governará então o país de Israel como rei e ministro de Deus, e acrescentou de seguida, "...todas as gentes da Terra o conhecerão e o servirão e virão a Jerusalém a oferecer sacrifícios. O Messias será humilde como Moisés, santo como seus pais Abraão, Isaac e Jacob e David, pobre em espírito; entrará em Jerusalém, não como outros Reis profanos, mas como servo de Deus, cheio de humildade e mostrando que entra como príncipe da paz, sobre um burro, que é o símbolo de paz, como o cavalo é símbolo de guerra..."

Isaac de Castro, (Bragança, Portugal - 1617  Amesterdão - 1687)

Com estes textos alegóricos à esperança e ao retorno a uma pátria que lhes pertencesse, milhares de judeus e cristãos-novos viviam cada dia um dia cheio de fé e de vontade, convictos que o regresso à Terra do leite e do mel estava realmente ao seu alcance, e aí, seriam novamente senhores do seu destino, livres finalmente das grilhetas da madrasta inquisição, livres para sonhar e cumprirem os mandamentos da Torá.
Esta esperança materializou-se só em 1948, aquando do nascimento do estado de Israel. Infelizmente, tarde de mais para muitos desses sonhadores. 
Stuart Carvalhais








Um nome ainda desconhecido
 para muitos portugueses.





Vestígios e memórias do passado (Parte IV)






Judiaria em Castelo de Vide



É conhecida a presença de uma comunidade judaica desde o século XIV nesta localidade.
Já a data de edificação da sinagoga é desconhecida,
mas por toda a área da judiaria se pode encontrar
testemunhos da presença deste povo, nomeadamente marcas
da existência de antigas mezuzás nas ombreiras das portas.





Sinagoga de Castelo de Vide.




Casas da judiaria. 



foto


(Brasão com dois leões, símbolo da tribde judah)

 Judiaria de Castelo de Vide.




Sinagoga


Aron Kodesh da Sinagoga
"BEIT-HA - MIDRASCH-SEFARDIN", de Castelo de Vide.




Há também um pequeno museu dedicado à tradição judaica.
Por tudo isto vale a pena dar um pulo até aqui, e visitar com
tempo esta bonita vila alentejana.
A terra e suas gentes agradecem, e fica-se a conhecer
um pouco melhor este belo e único país.



   Judiaria de Salzedas.


 http://salzedas.no.sapo.pt/imag/judi/med_simb.jpg


Figura cruciforme numa casa de cristãos-novos de Salzedas.


 


Judiaria da cidade da Guarda.


Esta antiga comuna de judeus remonta pelo
menos ao século XIII, e sabe-se devido
há existência de documentação da época
de D. Dinis,
a corroborar
isso mesmo.
Porém, é bem provável que a presença 
dos judeus
na Guarda seja anterior, os historiadores apontam
para os finais do século XII, ou primeira
metade do século XIII.



  


RUA DA JUDIARIA - GUARDA - PORTUGAL



quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Destaque literário






Um romance histórico que nos situa em pleno século  XVI.
As fogueiras, e o constante terror imposto aos cristãos-novos portugueses, serve de mote para uma narração que nos prende do princípio ao fim. 




Editorial Presença


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

"As histórias sobre mulheres não podem cingir-se simplesmente
àquilo que os homens pensam de nós".


Natalie Portman
actriz



Com a sua interpretação no filme "Cisne Negro", Portman já recebeu um Globo de Ouro, um Bafta, e poderá ganhar também o Óscar para a melhor actriz.
Mazal Tov

Vestígios e memórias do passado (Parte III)



Alcoutim




Rua da Srª da Conceição - Rua da judiaria. Alcoutim - Algarve.


Tomar




Sinagoga/Museu Hebraico de Tomar


Esta sinagoga é actualmente o mais bem conservado templo hebraico
construído na Idade Média em Portugal, edificado entre 1430 e 1460.
A comunidade judaica já existia pelo menos desde o século XIV, como atesta uma inscrição numa lápide funerária do
Rabino Joseph de Tomar, falecido em Faro no ano de 1315.





Capitel da sinagoga de Tomar




Porta de uma habitação na judiaria de Tomar.



Coimbra




Rua Corpo de Deus - Antiga rua da judiaria.

 
Sabugal




 Casa judaica no Sabugal.


Barcelona





 

Dia 17. Visita guiada a la exposición sobre Ben Adret. Victòria Mora dirigirá una visita guiada a la exposición “Salomó ben Adret. El triunfo de una ortodoxia. Barcelona, 1235-1310” en el Centro del Call que gestiona el Museo de Historia de la ciudad. Será el 17 de febrero a las 12h, en la plaza Manel Ribé. Victòria Mora fue la asesora histórica documental de la exposición, que ha sido producida por el propio Museo y ha contado con el asesoramiento científico de Manuel Forcano. Salomón ben Adret fue líder del judaísmo medieval catalán, con autoridad reconocida como jurisconsulto y maestro talmudista. Después de ser prestamista, ostentó el título de Rabino de Barcelona y sirvió a tres reyes Pere II, Alfons II y Jaume II, como responsable de los asuntos de los judíos. Había nacido en tiempos de Jaime I y fue contemporáneo de Raimon Llull y Arnau de Vilanova. En esta época, la monarquía catalano-aragonesa se extendía hacia el sur y a lo largo y ancho del Mediterráneo. Salomón ben Adret, que tenía entonces 14 años, fue testigo de cómo Barcelona, que crecía en actividad y en habitantes, consiguió que el monarca le concediera el autogobierno a través de la formación del Consejo de Ciento. Este modelo organizativo serviría posteriormente para las organizaciones propias de los judíos que formaban una comunidad o aljama arraigada en la ciudad desde hacía siglos, muy bien conectada además con otras aljamas. Importe 4€. + info: MUHBA tel.: 932 562 122; reserves-mhcb@bcn.cat

Dias 17 a 24. Nuevo ciclo de conferencias sobre el mundo judío. Amigos de la UNESCO de Barcelona vuelve a organizar un ciclo de conferencias con el título “Los jueves del mundo judío”. El 17 de febrero, Daniel Ben Itzjak, rabino y director del Centro de Estudios judaicos Keter Maljut de Barcelona, hablará sobre “La paz: una visión cabalística”, en la que se analizará el vocablo hebreo “shalom”, paz, de acuerdo con la cábala clásica y se le relacionará con el concepto de la unidad universal y cósmica, tratando de recalcar en su aplicación al individuo, la sociedad y el mundo en general. El 24 de febrero Leon Sorenssen, vicepresidente de la Comunidad Judía ATID de Cataluña, hablará de “El papel de la mujer en el judaísmo”, una breve panorámica sobre cómo ha sido la vida de la mujer judía en diferentes épocas de la historia, desde los tiempos bíblicos hasta nuestros días. Las conferencias tendrán lugar los jueves a las 19.15 horas en el IEMED (Instituto Europeo del Mediterráneo), calle Girona, 20. No socios de Amigos de la UNESCO de Barcelona 3 €. Para más información consulte la web http://www.caub.org/index.php?lang=es

Dia 19. Visita guiada al Call. El Museo de Historia de Barcelona continúa con su ciclo “Cuando el Call era el Call de los Judíos”, una aproximación a las actividades cotidianas de los siglos XII al XIV por los lugares más significativos del Call. Incluye la visita al Centro de Interpretación del Call, el Conjunto Monumental de la Plaza del Rey y el nuevo Centro de la calle de la Fruita con los silos del Call y la exposición sobre Salomón Ben Adret. Será el 19 de febrero a las 11’30h en la plaza Manel Ribé. Importe 8€. + info: MUHBA tel.: 932 562 122: reserves-mhcb@bcn.cat.

Dia 27. Una mirada judía al Call. El domingo 27 de febrero Urban Cultours os propone pasear por el Call de Barcelona de la mano de Dominique Tomasov, una de las personas más activas en la protección del patrimonio judío. Durante el recorrido hablaremos de historia y de cómo nos relacionamos con ella hoy día. Habrá sitio para preguntas y para un enriquecedor intercambio de culturas. Información e inscripciones: info@urbancultours.com. Plazas limitadas. 




(Casa de Sefarad)


Cartoon de Henrique Monteiro





Manifestações pró-democracia em Teerão 




Mahmoud Ahmadinejad Profile Photo




A esta hora o presidente Ahmadinejad deve estar a pensar para os seus botões, que a contestação dentro do Irão não passa de mais uma maquinação orquestrada por agentes estrangeiros, a soldo dos sionistas, pois por vontade própria, os iranianos seriam incapazes de tal audácia.
Pena tenho eu que em relação a este e a outros ditadores sanguinários, não haja manifestações ou boicotes, petições ou, frotas de navios falsamente apelidadas de "liberdade e paz".



terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A frase da semana



"Tenho-me esforçado por não rir das acções humanas, por não deplorá-las nem odiá-las, mas por entendê-las."



Bento Espinosa






domingo, 13 de fevereiro de 2011

Figuras e factos








António Granjo era natural de Chaves, (27 de Dezembro de 1881 - Lisboa, 20 de Outubro de 1921).
Foi advogado, democrata e republicano, e chefe do governo na 1ª República. Será assassinado na triste e célebre "Noite Sangrenta" de 1921, no Arsenal da Marinha. 






  

Trindade Coelho nasceu em Mogadouro, (18 de Junho de 1861 - Lisboa, 9 de Junho de 1908).
Jurista e escritor, foi autor da colectânea "Os Meus Amores e do In Illo Tempore", de leitura agradável sobre a vida académica, e das lembranças de sua infância passadas em Trás-os Montes.
Suicidou-se em 1908.



(Ambos eram descendentes de cristãos-novos).




sábado, 12 de fevereiro de 2011

"Magen David/Estrela de David" do ilustrador, caricaturista e pintor Arthur Szyk



 

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Efeméride






Foi a 11 de Fevereiro de 1482, que o rei Fernando de Aragão nomeou o frade dominicano Tomás de Torquemada, como inquisidor geral de Espanha.
Este nome é ainda hoje o símbolo do fanatismo religioso, e a imagem de uma inquisição sedenta de violência, responsável directa pela tortura e morte de muitos milhares de judeus, e de cristãos-novos espanhóis.
Em Espanha, a "limpeza de sangue" foi levada ao extremo, numa tentativa de estripar totalmente as heresias da época, ou seja, o judaísmo e o islão.

Em Portugal e Espanha

O Santo Ofício publicou uma série de normas onde ensinava os  católicos a espiar os seus vizinhos, e a reconhecer sinais de cripto-judaísmo, fomentando a partir daí um defeito que perdura até hoje, refiro-me à delação, à bufice invejosa e mesquinha de quem é nada.


"Se observar que teus vizinhos estão vestindo roupas limpas e coloridas no sábado, eles são judeus.
Se eles limpam suas casas na sexta-feira e acendem velas bem mais cedo do que o normal naquela noite, eles são judeus.
Se eles comem pão ázimo e iniciam sua refeição com aipo e alface durante a Semana Santa, eles são judeus".

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Concerto






Corvos visitam U2

Dia 4 de Março pelas 22h00
Auditório Jorge Sampaio - Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Homenagem






O Senado de Nova Iorque homenageia Aristides de Sousa Mendes


Foi durante a II Guerra Mundial, em pleno ano de 1940, que o cônsul geral português em Bordeús, Aristides de Sousa Mendes, arriscou a sua carreira diplomática montando um sistema de autorização de vistos de entrada em Portugal, o que salvou a vida a milhares de pessoas.
Sem dúvida que foi um justo entre as nações.